22 de jul de 2011

HA SOLIDÃO QUE SE FARTA

Há solidão que se farta

Com as mãos encravadas
já não faz rendas
tem artrose crónica

sonha
com galãs dos
anos 50
enxerga
novelas
de meia tigela
80 anos de solidão
vida lixada
filho
na prisão
vai a vizinha
ver
televisão
dizem que ela
é um caso
social
somos todos
na nossa
puta neurose
casos sociais
morremos neste
mundo
lentamente
na solidão

nascemos sozinhos
morremos sozinhos
na puta da vida
há putas na solidão
cães vagabundos
nos passeios cagando

na solidão
gatos
miando nos terraços
fornicam suas gatas
na solidão
há muita solidão
sexual disfarçada
a grande solidão
drogados
traficantes
suicidas e
policias na solidão
a triste solidão dos
endinheirados que
compulsivamente
contam dinheiro
a enorme solidão
dos pobres
de serem pobres
poeta Peruano
que morreu
de fome numa mansarda
em Paris
César Vallejo
música e sinfonias
Mozart morto
na solidão
a criatividade é
um demónio
é um acto de solidão
penso nas
ondas
da praia grande
são
23 horas e 25
minutos mas
tu não estás
bebo vinho
apago a luz
asfixio neste
cérebro
os macaquinhos
da solidão
o amor talvez
chega amanhã

Nenhum comentário: