11 de nov de 2010

PARA TI


Desce das alturas com a luz
Vem apreciar comigo a melodia
Do bater quase imperceptível
Das borboletas matinais

A sonoridade do mundo
A felicidade de seres casa
Que firma as leis loucas da gravidade

O equilíbrio que busco e só encontra
Na raiz das tuas meigas palavras de
Meio-dia de claridade única.


Nenhum comentário: