11 de abr de 2010

YATES


DESEJA OS TECIDOS DOS CÉUS



Fossem meus os tecidos bordados dos céus,

Ornamentados com luz dourada e prateada,

Os azuis e negros e pálidos tecidos

Da noite, da luz e da meia-luz,

Os estenderia sob os teus pés.

Mas eu, sendo pobre, tenho apenas os meus sonhos.

Eu estendi meus sonhos sob os teus pés

Caminha suavemente, pois caminhas sobre meus sonhos.

Um comentário:

Anônimo disse...

Gosto deste teu poema à meia-voz.

Obrigado.

Abraços,

Anémone