12 de abr de 2010

Dos meus poemas


Flor de poeira:

Quarto em silêncio
A cal…

Corpo inerte

Flor de poeira
Existência extinta,

Passos perdidos,
Olvido…

Requiem de Amadeus
Sereias encantando

Barcos
Encalhados no silencio
Da eternidade...

Nenhum comentário: