14 de abr de 2010

Missiva a um jovem Poeta


Missiva a um jovem Poeta:

Caro poeta: É tão fácil ignorar o mundo e as suas vicissitudes!...

Dizes que tudo já foi dito e, aquilo que dizemos e reivindicámos já foi dito, por isso, é mediocridade? … Que o melhor, é estar com os amigos, partilhando amizade e belos vinhos porque tudo passa?...

Ignorar a miséria humana, ignorar a palavra solidariedade… porque tudo está dito, e tudo passa?...

E os que sofrem, com os dogmas dos poderosos? …

Achas melhor observar as estrelas? Também eu! … Mas antes de sermos artistas, poetas, viver com a Natureza, (Que não é menos cruel) vivemos com a natureza humana.

Pensa amigo poeta!.. Vivemos em castelos de Areia, que podem ser desmoronados facilmente, com o sopro da Natureza… com a maldade humana… Nascemos sozinhos morremos sozinhos, mas alguém um dia, terá que enterrar os nossos ossos…

Não se pode mudar o mundo jovem Poeta, mas se fizermos algo de bom para mudar o mundo, seremos dois maldosos a menos neste mundo… Paz, amizade, e belos poemas!!!!!






2 comentários:

Anônimo disse...

ok ok está pensado!!!

vamos ao vinho?
celebrar a vida e o mundo amargo dos homens?
também os tsunamis...!
tudo!!!
quem pensa que um poeta vive fora do mundo não sou eu:são os que não são poeta;
tu és poeta, compreendes!
ah vida!!!!

Tchale Figueira disse...

Vamos ao Vinho!!!!!!