12 de abr de 2010

Dos meus poemas

Tirania:

Atravessando o árduo caminho,
Chegamos ao jardim onde os
Rios se bifurcam…

O pássaro que transportamos
Na gaiola dos cantos, de medo se
Suicida no abismo das luas apagadas…

Na fonte das fabulas sobre a eternidade,
Um sapo transformado em príncipe

Com aparelhos de alta voltagem
Faz discursos a um rebanho
De braços estendidos…

Na solidão deste quarto imenso
Que é o Mundo, o hino a alegria
Dos poetas perde o sorriso…

Nenhum comentário: