20 de set de 2012

Poema: Quando vier a lua cheia



Quando vier a lua cheia
              Irei ao arco na Praia do Norte
              Contemplar meus sonhos pairando no ar,
              Com uma cana de pescador, prenderei
             Cavalos de seda nas nuvens,
              Viajarei para o desconhecido
             Da minha galáxia interior.
            A luz argentina do imenso azul
             Será minha nave iluminada;
             Irei a portos exóticos distantes
             Confraternizar momentos
              E, em cada ancoradouro, tatuarei
             Na memória, a melodia das vozes
            E das musicas, que confraternizam os homens;    
           Minha alma contente, logo repousará,
          No jardim suspenso da vida
          No rosto de uma aurora
         De infinito amor.
       

Nenhum comentário: