5 de dez de 2011

ÁFRICA



Do lado neutro da trincheira
Contempla a tua obra!...
Canta!... Glorifica teus mortos
Vê as suas frias camas
De poeira vermelha

Corpos radioactivos
Crianças deformadas,
Rostos empobrecidos em urânio
Cabeças rapadas
Hospital de angustias

Mercenários rugindo
Alfabeto de mortos
Artéria podre do paraíso
África encharcada de vírus
Coreografia abominável
Petróleo de sangue
Diamantes brilhantes
Em dedos de abutres.

Um comentário:

RAYA disse...

Ola Tchalé, encontrámo-nos em amena cavaqueira em Lisboa durante a exposicao africana em setembro.
Já iniciei o meu blogue www.literaturasafrikanas.blogspot.com e inclui um livro teu.
Abraco grande, Raja