26 de jun de 2011

RADIO PESTILENTO



Rádio pestilento

Dentro do rádio; ruídos… talvez, de planetas distantes?...
A criança viaja em sonhos galácticos mas …
De repente, a navegação para …
O rádio difunde notícias: Noticia de guerras e
Mortes, neste matadouro terrestre, que é o planeta azul…

Numa labirinto de anomias, a borboleta frágil da criança
Tem as asas queimadas, que lentamente agoniza, sem sonhos, neste
Globo pestilento de crueldades…
A mãe do menino fecha o rádio, oferece a criança.
Uma borboleta, de palavras bonitas; entre elas, a palavra: AMOR!


Nenhum comentário: