3 de mai de 2011

TUDO RESPIRA!

Tudo respira!...

A sombra nas asas de insectos nocturnos
Peixes alados na crista das ondas
Lâmpadas marítimas de argentina luz…
Respira o poeta nesta noctívaga morada celeste
Vinho que alivia a tua ausência
Sabor dos teus quentes lábios de mulher
Teus olhos de saturninos anéis
Na taça mágica da noite…

Elixir que embebeda a respiração
Sopram singelas brisas no mar nostálgico da ilha
Luz do tempo o tempo é o momento
Minha esferográfica o papel o poema
Respira a magia da noite nos dedos da minha escrita
.

Nenhum comentário: