29 de mar de 2011

NOS OFÍCIOS DE SHAKESPEARE

Há homens que lutam um dia e são bons, outro que lutam muitos anos e são melhores, mas, há os puxa saco, no quotidiano: Estes são os crápulas, lambedores de botas… Para os seus fins pessoais, fingem ter memoria curta, falam mal das pessoas, e com amnésia simulada, esquecem que sugaram avidamente, feito Drácula, conde da Transilvânia, as suas “vítimas”… E, há um Puxa Saco na ilha a ferver, que já tem em ponto de mira, o novo Ministro da Cultura para chupar … Esta pequena historia, tem como objectivo, mostrar o triste retrato de um bicho Puxa Saco, habitante aqui da ilha de São Vicente, homem engajado nos ofícios de Shakespeare, (verdade seja dita, já fez trabalho) que dês de que soube, que há um novo Ministro da Cultura, anda por aí na rádio falando e em papéis escrevendo, mal dos anteriores ministros; quando ele, Puxa Saco por excelência, foi o mais beneficiado de todos os artistas e criadores? - Quem criou o Centro Cultural do Mindelo, lugar onde Puxa Saco, começou as suas actividades cénicas?.. Não foi o ministro D… Este mesmo ministro, que levou-te para o Brasil, onde hoje, tens contactos importantes? Com quem, oh Puxa Saco, assinaste um protocolo no pátio do Centro Cultural do Mindelo, num festim com todas as pompas? … (estive presente) Não foi com o ministro dos K?... CARAMBA HOMBRE, AY QUE TENER, COJONES!

4 comentários:

Anônimo disse...

Rapaz tb nao era precise bo dize Jom Bronc assim!

Doce de Coco

JB disse...

Tchalê, uma tristeza, esse teu texto. Uma cobardia. E quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras para o quintal do vizinho. Estás enganado, as tuas fontes estão equivocadas ou tens outros objectivos que não entendo. Estás enganado em:

1. Não foi de agora que comecei a falar de política cultural, vem de longe. Sabes disso muito bem, porque ambos falamos sobre esse tema muitas e muitas vezes. Não foi preciso ter o Mário Lúcio no governo para me lembrar que sou um cidadão com voz activa e tenho direito à minha opinião, que muitas vezes foi crítica. Não é de hoje que critico antigos ministros, basta ir ao Café Margoso e ler. Serás capaz de ir fazer uma revisão da matéria dada?

2. Beneficiado como? Por quem? Nunca nenhum ministro pagou para ver uma peça minha. Nunca nenhum ministro ou governante patrocinou uma produção teatral onde eu estivesse envolvido. Nunca nenhum governante me deu um tostão para comprar uma obra de arte que eu tenha criado. Nunca fui funcionário do Estado de Cabo Verde. Portanto...

3. Estás enganado: não foi no Centro Cultural do Mindelo que comecei as minhas actividades cénicas. Informa-te melhor. O CCM nasceu em 1998, comecei a fazer teatro aqui em Cabo Verde 1992. E por acaso, a minha última peça, até foi feita num barracão velho no espaço Columbim. Possivelmente, já tiveste lá mais exposições tuas no CCM do que eu peças de teatro encenadas por mim. Portanto....

4. Nunca viajei com nenhum ministro ao Brasil. As vezes que fui lá foi graças ao fruto do meu trabalho. Estás mais uma vez enganado, equivocado ou dominado por um espirito maldoso.

5. O Protocolo não foi assinado entre pessoas. Foi entre instituições. Entre um ministério e uma associação. E graças a esse protocolo, pessoas como tu vão ao CCM em Setembro e apreciam um festival internacional de teatro. Onde nós trabalhamos de forma voluntária e gratuita. Serias capaz, Tchalé, de sacrificar as tuas férias, durante mais de 15 anos para organizar um evento cultural aqui no Mindelo? Porque não assinas tu um protocolo e organizas uma Bienal de Artes Plásticas? Como vês, é fácil! Mais uma vez, aqui distorces as coisas de uma forma que sinceramente, é muito triste, vindo de quem vem.

6. É uma tristeza ver o homem que me deu há duas semanas palmadinhas nas costas em Lisboa, como se fossemos amigos de infância, quando fui á tua exposição, vir agora com esta prosa inacreditável para cima de mim.

Já outras vezes o fizeste, Tchalé, e não tiveste coragem de referir o nome. Desta vez foste um pouco mais longe, e já não podes dizer, como o fizeste da última vez "nã, moss, ess koza n'era pa bo".

Portanto, não ando a falar de ministros "dês de que soube" de porra nenhuma e lamento mesmo que tenhas escrito este texto execrável.

Cada um que fique com a sua consciência, meu caro. E com os seus actos. A minha está limpinha. Como estará a tua?

Saudações

JB

Tchale Figueira disse...

Ahahahahahah João" Conheces esta? EU GOSTO É DE EMPANTURRAR-ME!!! Fica frio rapaz, quem tem telhado de vidro?

Neu Lopes disse...

Rapazes, fico triste com isso.
Afinal, tendo em conta a nossa realidade, os artistas deveriam unir-se e preocuparem-se em trabalhar mais e mais para a nossa afirmação cultural.

Trabalho, rapazes! Quanto ao resto, ações e opiniões são sempre mutáveis e contornáveis.

Eu também tenho as minhas sobre mim e sobre vocês, mas o que interessa mais é o trabalho que fazemos para este país, sem qualquer interesse maior.

Vá lá, conversem sobre isso e façam as pazes!


Um abraço fraterno.