26 de jul de 2010

POESIA


Sai da neblina o meu barco,
Ondas calmas, silenciosas
Plumas, pássaros repousam...

A luz diáfana numa sinfonia triunfal
Evade o círculo glorioso do dia…

Tua vida casa de alegria
Tua vida tua charrua
Metendo semente na terra

Pássaro em meus olhos voando
Linha de horizonte azul
Tua saia de borboletas flutuando…

Teus pés de nocturno azeviche,
Lâmpadas de água
Brilhando na tua coxa africana

E o dia clareando em mim,
Pássaro frágil jovial




Nenhum comentário: