7 de abr de 2010

SENEGAL SENEGAL BULDEEMMMM!!!!!



COMO É POSSÍVEL?... NUM PAÍS COM UM DOS MELHORES ESCULTORES DE ARTE CONTEMPORANEA, OSMAN SO...
Um pequeno megalómano desenha e manda construir uma aberração e exige direitos de autor?
Uma estátua de bronze, de cinquenta metros, numa colina de DaKar, está a provocar a polémica no Senegal.
A obra é inaugurada hoje – um dia antes do país celebrar os 50 anos da independência – e chama-se “Monumento do Renascimento Africano”.
O arquitecto explica a ambição da estátua: “Não há dúvidas de que este monumento vai fazer parte das sete, oito ou dez maravilhas do mundo. Já fazemos parte do livro de recordes do Guiness. É a maior estátua de bronze do mundo.”
A obra custou 15 milhões de euros e foi encomendada a uma empresa da Coreia do Norte. Choveram, por isso, os protestos, num país onde o emprego é escasso.
O presidente Abdulaye Wade desenhou a obra e fez saber que um terço das receitas turísticas vai para os seus direitos de autor.
Os críticos de arte vêem na estátua um estilo soviético em vez das formas tradicionais da arte africana.
O projecto levou a população a manifestar-se nas ruas. “Temos problemas de electricidade, de saneamento, problemas em todo o lado na sociedade e o presidente Wade dá milhões para a estátua!”, lançou um senegalês durante um protesto.
A juntar-se ao coro de críticas, vários líderes muçulmanos vêem na estátua um símbolo de idolatria, ao apresentar o humano como objecto de adoração.
Já os partidos da oposição denunciam um monumento à glória do presidente e apelam ao boicote da inauguração

2 comentários:

Anônimo disse...

Mais um acto de ignorância disfarçado de cultura. Quanto à rapinagem comercial que lhe está subjacente nada de novo. Normalíssimo. Acho mais escandaloso a qualidade estética da peça e o desperdicio de bronze. E nós não vamos erguer mais um aborto 'estético' semelhante (à escala dos nossos bolsos, claro) um destes dias? É o que dá quando o mau gosto se associa ao poder.
Ab
ZCunha

Tchale Figueira disse...

Caro ZCunha, Deus queira que aqui não aconteça o mesmo. Havia um zumzum de uma coisa parecida mas como o Culturas voo não creio... Obrigado poeta pelas belas palavras. Um grande Abraço.