18 de nov de 2012

TUDO RESPIRA

TUDO RESPIRA:

A sombra nas asas de insectos nocturnos,
Peixes alados na crista das ondas,
Lâmpadas marítimas de argentina luz.

Respira o poeta nesta noctívaga morada celeste,
Vinho, que alivia a tua ausência,
Sabor dos teus quentes lábios mulher,
Teus olhos de saturninos anéis,
Na taça mágica da noite.

Elixir que embebeda o peito,
Brisa neste oceano nostálgico da ilha,
Luz e o tempo, o tempo, o momento,
A esferográfica, o papel o poema,
Respiro voando na magia da noite,
Na caligrafia brilhante das estrelas.


Astros que cintilam
Neste veraneio calor,
Orquídeas pintadas
 São teus olhos azeviche
 De mágico olhar,
Milhões de borboletas,
São as galáxias, neste universo
sem fim.


Embrião teu ventre
Dadiva dos deuses,
Essência divina
Clarão que atravessa
Tua janela de EROS,
Teu alvéolo doce, é
Amêndoa rosa,
Nossas iniciais   
Inscritas, numa acácia
Da Índia.

,
    


Nenhum comentário: