6 de set de 2012

O triunfo da Poesia contra o triunfo dos porcos


Senhor director da Electra, senhor ministro de energia, senhor primeiro-ministro, Senhor, que mingúem sabe, onde Ele paira: São 16 e 58 minutos ou, já forma 16 e 58 minutos, porque quando escrevi que eram 16 e 58 já não era. Mas, não quero aqui especular, sobre física quântica e o tempo, coisa muito complicada para a minha carola. Quero sim, dizer-vos que, quando foi supostamente, 5 e 30 desta manhã de 6 de agosto de 2012,  dia em que, o inferno, deve estar mais fresco do que São Vivente de Cabo-Verde, não há energia eléctrica na ilha. Eu sou poeta, posso abanar o calor com um leque de 200 escudos comprado na loja chinês, mas o diabo, é que, leque de 200 paus, segundo os netos de Confúcio, só dá, para a gente ficar agarrado nele e abanar a cabeça. Os de 500, eles dão garantia que, cliente pode abanar à vontade, leque não rasga. Os de 500 paus, meus senhores janotas, estão fora de questão, estão fora, do meu orçamento. É, a  tal Crise, que os ricos fizeram, para depois, pobre pagar…  Mas senhor director, senhor primeiro  ministro, senhor ministro!. (Ao Outro Senhor não digo nada, este nunca dá bola a mingúem) Vocês estão de certeza nos vossos gabinetes fresquinhos, ar condicionado soprando que nem canto de anjos no paraíso, vossos carros frescos que nem sorvete italiano…  Que bela vida, enquanto o povo, que tanto vocês maltratam, fica reclamando de boca em boca, que, sem colhões nem ovários, não vão a rua, ou a porta dos vossos gabinetes manifestar seu descontentamento. (eles sabem muito bem caro leitor da incapacidade em que o povo se debate) Nestas ilhas, democracia, por falta de conhecimento do nosso povo ( um povo culto conhece melhor os seus direitos mesmo se  estes são limitados pelo poder dos governos com os seus policias, militares, leis, capangas etc. ) tornou-se libertinagem, sexo tornou-se o desporto radical dos ilhéus, política um zurrar de jericos, num parlamento para lamentar, com cada asno  puxando brasa a sua sardinha e, o rebanho que nem ratos encantados  pelo flautista de Hamelin, vai a traz.

Depois não digam, que eu, não vos avisei: Ai se a energia não vier as 21 e 30, hora da Novela Brasileira da TV Globo para entreter robôs... Será como nos filmes, americanos: A revolta dos robôs, sobre vocês, tecnocratas e políticos. Em facto, um filme, que tanto desejaria ver, mas sei que nunca irá acontecer!

Senhor director da Electra, senhor primeiro-ministro, senhor ministro, e Tu, que não conheço: Vão-se todos lixar, eu vou ler Jorge Orwell, e me consolar, com o triunfo da poesia, contra o triunfo dos porcos.

PS: Fui comprar comprimidos para tenção alta, não foi possível, os computadores das farmácias não funcionam por falta de energia. Bom!!!!!! Senhor primeiro-ministro, este, é o seu país de desenvolvimento médio, ou, de desenvolvimento merda?         

Nenhum comentário: