24 de jul de 2012

Esta Poesia


Esta poesia

Em cada aurora

Que deslumbra,

Sublime sol,

Seus

Raios abertos,

São asas de pássaros

Andorinhas

Arquitectando

O paraíso,

Sagração e luz

Doce brisa

Afagando

Teu rosto

Laranjas de fogo

Pomar

De relâmpagos

Aurífera areia

Bordando rendas…

Alvas

Ondas que aproam

A costa, em

Seu perpétuo

Canto de amor e

Naufrágios do mundo.

Nenhum comentário: