29 de fev de 2012

Infinito num relampago



A selva,
seu pulmão,
um homem
imitando
pássaros,
outro em
silencio
observando
as
estrelas,
e esta poesia
na memória,
que
alcançou
o infinito
na luz
de um
relâmpago

Nenhum comentário: