18 de fev de 2011

ETERNIDADE



Três tururus no deserto animam
Um baile de torvelinhos com trompetes de vento,
Um peregrino com um cajado de sonhos baila.

Um lama tibetano, varre uma pintura tântrica na areia…

Desvanece o bem e o mal num sopro,
Toda a beleza do mundo, assim acaba,
Todo o cansaço também! …

Um milhão de anos-luz,
Apaga num suspiro.
eternidade...

Nenhum comentário: