17 de jul de 2010

Eternidade - Poema


Eternidade

Três tururus no deserto animam
Um baile de torvelinhos, com trompetas de vento,
Um peregrino, com um cajado de sonhos, baila!

Um lama varre, pinturas na areia…

Desvanece o bem e o mal num sopro,
Toda a beleza do mundo, assim acaba! …

Voo de águia-real,
Também todo o cansaço…

E, um milhão de anos-luz,
Apagado num segundo…

Nenhum comentário: