20 de set de 2010

O GOVERNADOR DAS ILHAS


O Governador das ilhas

Declarando guerra ao vento com seu punhal de espinhos
Seu cérebro estagnado, seu deserto patético
Vive nas cloacas do inferno bailando com vermes…

(Não se pode ser manhente e culto, disse o poeta)

Demolindo templos de sabedoria
Feito Nero ilhéu, queima memórias
Iluminado diáfano, luz de loucuras
Enxergando labaredas, sua obra-prima…


Tiger tiger, burning breit, on the forest of the night…

Esquadria tacanha
Trono efémero, longa ignorância,
Rádio activo, passivo povo…

Go fuck your selff!...

Em Janeiro?... Estandartes e pífaros…

Salivando mentiras, aí vão os ratos, de Hamelin,
Cairão de novo na trampa, das promessas vãs,
Viva quel bol, viva quel vim!!!!!!!

Nenhum comentário: